• Seminário Arquidiocesano de Cuiabá

A Medalha Milagrosa

Foi em 1830 que Nossa Senhora revelou a medalha a Santa Catarina Labouré. Na época, Paris passava por uma epidemia de cólera, que cessou depois que as primeiras medalhas começaram a ser distribuída.


A“Medalha Milagrosa”, surgiu numa época em que a França estava passando por grave crise política depois da Revolução Francesa (1789). Nesse tempo, nasceu Catarina Labouré (1806), que, aos 23 anos, tornou-se freira da Congregação das Filhas da Caridade. No convento, teve várias visões de Nossa Senhora. Na noite de 18 a 19 de julho de 1830, Catarina teve uma visão de Nossa Senhora e conversou com ela por várias horas. Antes de se despedir, Maria colocou um desejo especial no coração de Catarina: “Minha menina, vou confiar uma missão a você”. Em 27 de novembro do mesmo ano, Nossa Senhora revelou-lhe a Medalha Milagrosa e pediu a Catarina que mandasse fazer e distribuísse ao povo peças iguais àquela que acabara de ver. Entretanto, o bispo local não acreditava na visão da religiosa. Foi preciso um sinal do céu para convencê-lo. E ele veio! Quando foram encomendadas as primeiras medalhas uma terrível epidemia de cólera atingia Paris, dizimando a população. Entretanto, assim que foram distribuídas as primeiras medalhas a peste cessou. Depois disso, outros milagres confirmaram o valor da medalha, cuja devoção se espalhou pelo mundo. O significado da Medalha Milagrosa


A face principal da Medalha A Santíssima Virgem de pé sobre o globo terrestre: isso significa que Ela, além de ser Nossa Mãe do Céu, é também a Rainha da Terra e de todo o Universo. Ela esmaga sob seus pés uma serpente que representa o demônio, que tenta continuamente os homens com o intuito de levá-los para o inferno. Nossa Senhora tem um poder incomparavelmente maior que o do demônio. Ela protege todos os filhos que lhe pedem com confiança. De seus dedos saem raios de luz. Estes raios representam as graças que a Santíssima Virgem concede aos que se devotam a Ela. Perguntada por Santa Catarina por que de alguns dedos não saíam raios, Ela respondeu que desejava conceder mais graças, porém os homens não lhe pediam. A data de 1830 marca o ano das aparições de Nossa Senhora nas quais Ela revelou a Medalha a Santa Catarina Labouré. Foi no final da tarde do dia 27 de novembro. Em volta da Medalha lê-se a frase: “Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a Vós”. Nossa Senhora mandou colocar na Medalha esta curta oração para que ela fosse repetida com frequência.

O verso da Medalha O grande “M” tendo sobre si uma cruz, é a inicial do nome de Maria. A cruz é a Cruz de Jesus, que morreu por nós. Aos pés da Cruz encontra-se Maria que sofre e nos anima em união completa com Jesus. Em volta da Medalha estão desenhadas doze estrelas: é a coroa da Santíssima Virgem. Como Rainha do Céu e da Terra, Nossa Senhora tem uma coroa de doze estrelas que representam seu poder sobre toda a Criação. Tudo o que Ela pede a Deus, Ela obtém. Lado a lado, estão o Coração de Jesus e o Coração de Maria. Duas pequenas chamas indicam que eles queimam de amor por nós. À esquerda, o Coração de Jesus está envolto por uma coroa de espinhos e tem uma chaga aberta que sangra. São nossos pecados e nossas más ações que O fazem sofrer: para redimir nossos pecados, Ele foi coroado de espinhos. Ele morreu na Cruz e seu Coração foi transpassado por uma lança. À direita, o Coração de Maria está atravessado por uma espada que representa toda a dor que Ela sentiu durante a Paixão de Seu Filho por nós. Ela ofereceu esses sofrimentos em união aos de Jesus para que nós nos salvemos e possamos ir ao Céu.



Via Aleteia

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

©2018 by Seminário Arquidiocesano de Cuiabá. Proudly created with Wix.com

Entre em contato

Rua Pérola 393, Várzea Grande - MT

Tel: (65) 3029-1805

  • Facebook Seminário
  • Instagram Seminário